Youtube.

Aquela montra que tanto nos seduz, com a garantia que tem os conteúdos que gostamos de ver. Portanto, o Youtube dá-nos os vídeos… e nós? Bem, nós damos o nosso tempo. Sem darmos conta, estamos muito mais tempo do que aquilo que pensaríamos estar, porque lá vemos mais um vídeo recomendado e mais um outro vídeo e outro… e quando damos por nós, já estamos a ver o Wuant. Esta relação com o Youtube só acaba quando nos fartamos e saímos de lá (sim, porque o Youtube nunca se farta de nós, está lá sempre).

Instantâneamente, começamos a refletir se aquilo que vimos, ainda que não aquilo que exatamente queríamos, nos trouxe algum valor, seja a rir, a adquirir conhecimento, a nos informar. E assim ficamos com a ideia que afinal até foi um bom tempo aproveitado, certo? 🤦‍♂️

Errado. Eu via-me constantemente nessa reflexão “pós-serão diária de Youtube” a enganar a mim próprio. Foi então que decidi tomar rédeas a esta plataforma e arranjar formas de ganhar tempo, com o Youtube. Vou te explicar o que fiz:

1º Criar Listas de Reprodução

Primeiro, criei listas de reprodução privadas com categorias como Música, Skills, Desenvolvimento Pessoal, Comédia e Entretenimento, e comecei a catalogar os vídeos que já tinha colocado “Gosto” (tens uma lista só dos vídeos que meteste like) e também perceber se de facto aqueles vídeos que meti like, continuo a achar que têm valor para mim. (Esta é a parte engraçada, porque fiquei a discutir comigo próprio porque raio tinha “Gosto” em vídeos que agora se os voltasse a ver, ignorava logo).

-Espera João… Mas afinal quantos vídeos tinhas com “Gosto”?

– 1570 Vídeos.

-WTF… Tu és doido?? Catalogaste esses vídeos todos?

-Sim e não. Os que continuo mesmo a gostar, cataloguei-os; os outros não fiz nada.

-Mas, mas… deves ter perdido imenso tempo!

-Apenas uma manhã. E foi produtiva, deu para rever uns bons gostos musicais, rir-me e perceber quem fui e quem sou agora.

É claro que não te aconselho a fazeres isso a TODOS os vídeos anteriores com “Gosto”, mas preenche as listas de reprodução que criaste com alguns vídeos lá dentro; depois, nos próximos vídeos que visualizares e gostares, define por uma categoria que criaste. Isto vai ajudar-te a mais tarde, poderes procurar aquele vídeo que gostaste muito mas que não sabes onde está.

2º (Tentar) Subscrever os canais que realmente queres ver

És daqueles que tem centenas de subscrições e não sabes como? Eu era um desses. E continuo a sê-lo. Tal como clicas em “Seguir” alguém no Instagram, no Youtube estás a seguir um perfil de alguém ou alguma identidade. Portanto, este passo admito que é bastante difícil controlar, porque quando vemos um vídeo que gostámos muito, vamos meter “Gosto”, Subscrever e ativar o “sininho”.

Foi neste momento que refleti (novamente) e cheguei à conclusão que posso vir a ter de rever esta lista de subscrições ao longo do tempo, por já não gostarmos de alguns vídeos desses canais, ou porque esses canais criam menos conteúdo do que esperávamos, ou porque já não nos identificamos.

O que tenho feito? Uma vez por mês, faço uma revisão rápida dos canais que sigo, vendo por exemplo o último vídeo desse canal, e perceber se realmente continuo a identificar-me com esses canais (mesmo que esse canal não tenha criado nenhum novo vídeo até então); desta forma, consigo controlar a minha página inicial do Youtube, bem organizada, com conteúdo que acredito que vou gostar de ver e querer ver.

– Hum, então e quanto ao “sininho”? Ser o primeiro a ver os novos conteúdos não é fixe?

– Vamos para o próximo passo:

3º Usa e abusa do “Ver mais tarde”

É fixe ser o primeiro a ver, a meter gosto, a comentar… E até digo mais: o Youtube gosta disso. Ele dá mais relevância a vídeos acabados de lançar e até permite “Lembrete” para vídeos que irão ser lançados no futuro.

Tenho apreço por quem cria conteúdo no Youtube e um dia pretendo também eu criar conteúdos, mas ao mesmo tempo também não me quero contradizer neste artigo que vos escrevo.

– Então João, em que ficamos? Devo ver o vídeo novo, assim que seja lançado?

A minha resposta é rápida: nim. Por um lado, o vídeo novo da pessoa que segues (à partida) não irá ser apagado tão cedo, ele vai continuar no Youtube; por outro, ao estares lá naquelas primeiras horas, ajudas o canal a crescer, criar melhores conteúdos, etc…

Os algoritmos têm destas coisas… qualquer coisa tem relevância na internet, se tiver tráfego. E o Youtube quer-te lá dentro. Mas tu podes controlar isso. O que eu faço? Bem, eu tudo o que subscrevo, ativo logo o “sininho”, mas previamente, já tenho nas definições configurado que não quero receber notificações no telemóvel, enviando apenas por email (tenho a minha caixa de correio organizada, fica para outro artigo 🙂).

Uma vez por semana, é garantido que vou ao Youtube. Quando entro, tenho vários vídeos à minha frente; no entanto, não os vejo naquele preciso momento; o que faço é, daqueles que me despertam o interesse, sem os abrir, adiciono na lista de “Ver mais tarde”. Devo percorrer uns 100, 150 vídeos e isso deve pesar uns minutos a fazer isto.

Nos outros dias da semana, tento ir ao Youtube; mas desta vez ao entrar, já sei que o que vou ver:

  • A lista do “Ver mais tarde”
  • Vou a “Subscrições” e vejo os conteúdos do dia de quem sigo

No momento que escrevo este artigo, é a 1ª semana que estou a experimentar estes passos, e só o tempo dirá para perceber se de facto isto resulta ou não para mim. Mas eu acredito que sim. E acredito que para vocês também.

Gostaste deste Artigo?

Partilha com os teus amigos

Open chat
Tens alguma questão? Fala comigo!
Powered by